Turismo estético (cirurgia plástica no exterior) e tráfico de órgãos

com Nenhum comentário

Foi ao ar no Fantástico uma matéria sobre os casos das brasileiras que morreram na Venezuela após realizarem cirurgias plásticas. Algumas tiveram seus corpos enviados para o Brasil sem alguns órgãos. Há indícios de ligação dos casos com o tráfico internacional de órgãos.

Atenção aos riscos! O “barato” pode sair caro!!!

“Cirurgia estética no exterior pode ser muito perigosa porque os padrões variam de um país para o outro. É essencial que os pacientes procurem por cirurgiões plásticos certificados pelos conselhos de medicina locais, independentemente de onde forem realizar o procedimento”.

“Qualquer paciente que está planejando viajar longas distâncias para realizar uma cirurgia estética deve ser alertado de que está correndo riscos maiores do que correria ao procurar um cirurgião certificado mais próximo de casa. Se ele insistir em viajar para outro país, é imperativo que escolha um cirurgião licenciado que irá lhe providenciar o procedimento, cuidados pós-operatórios e conselhos; não apenas uma operação. O único jeito de encontrar cirurgiões certificados internacionalmente pelo conselho de medicina é pelo website da ISAPS.

Confira alerta da Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética, publicado no site da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica:

http://www2.cirurgiaplastica.org.br/blog/sociedade-internacional-de-cirurgia-plastica-estetica-isaps-emite-alerta-para-pacientes-sobre-praticantes-nao-licenciados-e-turismo-medico/

 

cau_0437

 

Deixe uma resposta