Cirurgia plástica pós-parto: quando fazer?

com Nenhum comentário

Colocação da prótese de silicone nos seios, nos glúteos e lipoaspiração estão no ranking de procedimentos mais procurados pelas mães.

Em entrevista para A Revista da Mulher falo sobre esse assunto:

http://arevistadamulher.com.br/estetica-spa/content/2355466-cirurgia-plastica-pos-parto-quando-fazer

 

Engravidar é o sonho de muitas mulheres, assim como recuperar o corpo após o nascimento do bebê. Por isso, muitas mamães recorrem a cirurgias plásticas para voltar à boa forma. Segundo a Dra. Karina Gilio, cirurgiã plástica e membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, entre os procedimentos mais procurados estão a colocação da prótese de silicone nos seios, lipoaspiração e aumento dos glúteos.
Entretanto, as cirurgias não podem ocorrer logo após o parto, pois podem comprometer a saúde da mãe do bebê. O ideal, explica a especialista, seria esperar a última gravidez. Mas caso a paciente mude de ideia e resolva engravidar novamente, será preciso esperar um ano.
Ainda de acordo com a cirurgiã, o implante de silicone, que aumenta o volume das mamas e proporciona contorno, firmeza e simetria para os seios, só é recomendado após seis meses do parto e se a mãe não estiver mais amamentando.
Já a lipoaspiração, que remove o líquido de gordura, remodelando algumas áreas e o contorno do corpo, é recomendada após um ano do parto. A prótese de glúteo, por sua vez, que remodela e aumenta o bumbum, deve ser realizada seis meses após o parto.

Os riscos de uma cirurgia precipitada

Querer voltar a forma física logo após o parto é, segundo a médica, o primeiro erro das mulheres. “É necessário esperar o corpo desinchar, curtir o momento com o filho, amamentar e só depois procurar a plástica. Aí sim podemos ver qual é a real necessidade”, explica.
O risco da cirurgia antes da hora é justamente por culpa do inchaço. “Aquele não é o corpo dela e ela precisa esperar que ele volte ao normal”, alerta Karina. No caso da prótese de silicone, o perigo é colocar a prótese de tamanho inadequado, pois quando a mulher está amamentando os seios ainda estão com leite e não é possível saber o seu tamanho real. Além disso, as grávidas são mais predispostas à coagulação sanguínea e a chances de trombose e embolias são altas.

Cirurgia plástica só em último caso

Optar pela cirurgia, que é um tratamento invasivo, não deve ser a primeira opção. Segundo a médica, atualmente a tecnologia está avançada e já é possível eliminar as gorduras acumuladas com aparelhos como o ultrassom de alta frequência, considerado uma técnica não invasiva.
Para não precisar recorrer à cirurgia plástica ou outros métodos, o ideal é não sair comendo o que vê pela frente, mesmo durante a gravidez. O indicado é engordar, em média, de 10 a 15 kg. Além da alimentação balanceada, a cirurgiã sugere a prática de atividade física, principalmente aquelas indicadas para as gestantes, como hidroginástica, yoga, pilates e caminhada.
A lipoaspiração é indicada para remover as gorduras localizadas
Foto: Cauê Moreno

Deixe uma resposta